• Pitter Lopes

O que é GTIN? Tudo o que você precisa saber.



O que é GTIN


O GTIN (Global Trade Item Number), também conhecido como EAN (nome antigo), ou simplesmente código de barras, é um código normalmente utilizado para identificar produtos.


Ele costuma ser exibido na embalagem dos produtos no formato de código de barras.


O GTIN é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC.


Os GTINs, anteriormente chamados de códigos EAN, são atribuídos para qualquer item (produto ou serviço) que pode ser precificado, pedido ou faturado em qualquer ponto da cadeia de suprimentos.


O GTIN é utilizado para recuperar informação pré-definida e abrange desde as matérias primas até produtos acabados.


GTIN é um termo “guarda-chuva” para descrever toda a família de identificação das estruturas de dados GS1 para itens comerciais (produtos e serviços).


Os GTINs podem ter o tamanho de 8, 12, 13 ou 14 dígitos e podem ser construídos utilizando qualquer uma das quatro estruturas de numeração dependendo da aplicação. O GTIN-8 é codificado no código de barras EAN-8.


O GTIN-12 é mais utilizado no código de barras UPC-A, o GTIN-13 é codificado no EAN-13 e o GTIN-14 no ITF-14. Benefícios do GTIN:

  • Requisito para acesso a novas plataformas de venda (Ex. Marketplace);

  • Maior visibilidade nos resultados de buscas;

  • Facilidade para encontrar os seus produtos em sites de busca e comparadores de preço;

  • Marketing mais efetivo;

  • Precisão nas informações.

Como gerar GTIN/EAN corretamente

Para gerar códigos GTIN/EAN corretamente é necessário se filiar à GS1 (saiba como fazer isso na continuação deste post). Você então receberá um código para acesso ao Cadastro Nacional de Produtos (CNP).


É dentro do CNP que todos os novos códigos serão gerados.


Antes de gerar um novo GTIN/EAN é necessário informar todos os dados do produto (fotos, descrição, marca, peso, volume, etc) no CNP para que o respectivo código seja válido.


Ele substitui o SGN (Sistema de Gerenciamento de Números) e oferece os seguintes recursos:

  • Uso de códigos GS1 para identificação de produtos (GTIN) e localizações físicas (GLN);

  • Cadastro de informações dos produtos, como descrição, marca, imagem do produto, peso, volume, entre outros;

  • Gestão de múltiplos usuários para atualização de dados;

  • Geração de etiquetas com códigos de barras EAN-8, EAN-13 e ITF-14;

  • Importação de lista de produtos para cadastro no sistema;

  • Geração de relatórios;

  • Possibilidade de gerar códigos eletrônicos do produto (EPC/RFID).

Veja no vídeo abaixo como é simples realizar o cadastro de um produto GTIN - 13 no CNP:


Mas, o que é GS1?


A GS1 é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve e mantém padrões para a comunicação empresarial.


O grupo existe há mais de 40 anos e está presente em 112 países, com mais de 1,5 milhão de empresas usuárias e 6 bilhões de transações diárias.


Seu produto de maior renome é o código de barras, já que a empresa centraliza a emissão de novos códigos em todo o mundo.


Como se filiar à GS1?


Para se filiar à GS1 e começar a emitir GTIN/EAN é necessário seguir as seguintes etapas:

  • Cadastro online: acesse o site oficial da GS1 (https://www.gs1br.org/filiacao-online/identificacao?categoria=codigo-de-barras), selecione o tipo da sua empresa e informe todos os dados exigidos. Na sequência é necessário enviar os documentos para análise e assinar digitalmente o contrato.

  • Pagamento: após a assinatura do contrato, é necessário fazer o pagamento. É possível optar por boleto bancário (enviado por e-mail) ou depósito identificado.

  • Acesso ao CNP: uma vez confirmado o pagamento, será liberado o acesso ao Cadastro Nacional de Produtos (CNP), no qual a geração de novos códigos será feita.

Quanto custa se filiar a GS1?


O custo de adesão a GS1 varia conforme o faturamento da empresa que está se associando.


É necessário pagar uma taxa de inscrição e uma anuidade.


Para ter acesso a tabela de valores e documentação necessária para cadastro acesse:

https://www.gs1br.org/filiacao-online/tabela-de-valores


Em caso de inadimplência, todos os GTIN/EAN gerados podem ser cancelados.


Posso gerar um GTIN/EAN para um produto existente?


Se o produto já possui um GTIN/EAN não é possível gerar outro código para o mesmo item. A duplicidade de códigos dificulta a gestão de estoque e prejudica o controle tributário.

Por que o GTIN/EAN é tão importante no varejo?


A utilização de um código GTIN/EAN para controle dos produtos simplifica a gestão de estoque e também favorece o controle tributário.


Além disso, após gerar o código de barras corretamente, ele pode ser integrado ao Cadastro Centralizado de GTIN, que forma um repositório único e central de todos os códigos utilizados pelas empresas usuárias do código GTIN.


Ter um GTIN/EAN válido e inserido dentro do Cadastro Centralizado será fundamental para o recolhimento adequado dos tributos.


As Secretarias da Fazenda já estão preparando mecanismos de validação dos campos cEAN e cEANTrib nas notas fiscais. Esses campos contêm o GTIN do código de barras e, caso sejam inválidos, irão impedir a emissão da nota fiscal.


Para quem vende em marketplaces, o uso correto do GTIN/EAN também favorece a performance comercial.


Se um e-commerce decide investir na publicidade via Google Shopping, por exemplo, todos os anúncios serão concentrados por meio do código de barras.


Caso haja divergência dos números, isso irá prejudicar o desempenho da publicidade.


Ainda tem dúvida? Assista ao vídeo abaixo sobre o que é GTIN, da Tecnospeed.



Alguma dúvida a mais? Comente abaixo e procuraremos responder, Não esqueça de compartilhar essa informação com clientes que tenham dúvida com relação à códigos de barras e Automação Comercial.

162 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo